Menu

Março Azul-Marinho: Mês de atenção ao Câncer de Colorretal

04/03/21

Março Azul- Marinho é mês de atenção ao Câncer de Colorretal. O Câncer é um conjunto de doenças, caracterizadas pelo crescimento desordenado das células (tumores), que pode atingir qualquer parte do corpo. O Câncer de Colorretal abrange os tumores que se iniciam na parte do intestino grosso, chamada cólon e no reto (final do intestino, imediatamente antes do ânus) e ânus. Também é conhecido como Câncer de Intestino ou Cólon e Reto.

É uma doença com tratamento e, a maioria dos casos são curáveis, ao serem detectados precocemente, antes que a doença se espalhe para outras regiões do corpo. Grande parte desses tumores se inicia a partir de pólipos, lesões benignas que podem crescer na parede interna do intestino grosso. Estima-se 40.990 novos casos, sendo 20.520 homens e 20.470 mulheres (2020-INCA), já o número de mortes equivalem 19.603, sendo 9.608 homens e 9.995 mulheres, segundo pesquisa da Atlas de Mortalidade por Câncer – SIM – 2018.

Existem inúmeros fatores que contribuem para o aumento do risco de desenvolver a doença, dentre os principais estão: idade igual ou acima de 50 anos; excesso de peso corporal e alimentação não saudável; consumo de carnes processadas (salsicha, mortadela, entre outros); ingestão excessiva de carne vermelha; histórico familiar; tabagismo e consumo de bebidas alcoólicas.

Doenças inflamatórias do intestino, como retocolite ulcerativa crônica e doença de Crohn, também aumentam o risco de Câncer do intestino, bem como doenças hereditárias, como polipose adenomatosa familiar (FAP) e Câncer Colorretal hereditário sem polipose (HNPCC). Pacientes com essas doenças devem ter acompanhamento individualizado.

A exposição ocupacional à radiação ionizante, como aos raios-X e gama, pode aumentar o risco para Câncer de Cólon. Assim, profissionais do ramo da radiologia (industrial e médica) devem estar mais atentos.

Os sintomas mais frequentemente associados ao Câncer do Colorretal são:

  • Sangue nas fezes;
  • Alteração do hábito intestinal (diarreia e prisão de ventre alternados);
  • Dor ou desconforto abdominal;
  • Fraqueza e anemia;
  • Perda de peso sem causa aparente.
  • Alteração na forma das fezes (fezes muito finas e compridas)
  • Massa (tumoração) abdominal

Esses sinais e sintomas também estão presentes em problemas como hemorroidas, verminose, úlcera gástrica e outros, e devem ser investigados para seu diagnóstico correto e tratamento específico.

Na maior parte das vezes esses sintomas não são causados por Câncer, mas é importante que eles sejam investigados por um médico, principalmente se não melhorarem em alguns dias.

A manutenção do peso corporal adequado, a prática de atividade física, assim como a alimentação saudável são fundamentais para a prevenção do Câncer de Colorretal. Uma alimentação saudável é composta, principalmente, por alimentos in natura e minimamente processados, como frutas, verduras, legumes, cereais integrais, feijões e outras leguminosas, grãos e sementes. Esse padrão de alimentação é rico em fibras e, além de promover o bom funcionamento do intestino, também ajuda no controle do peso corporal. Manter o peso nos limites da normalidade e fazer atividade física, movimentando-se diariamente ou na maior parte da semana, são fatores importantes para a prevenção deste tipo de Câncer.

A detecção precoce do Câncer é uma estratégia para encontrar um tumor numa fase inicial e, assim, possibilitar maior chance de tratamento.

A detecção pode ser feita por meio da investigação com exames clínicos, laboratoriais ou radiológicos, de pessoas com sinais e sintomas sugestivos da doença (diagnóstico precoce), ou com o uso de exames em pessoas sem sinais ou sintomas (rastreamento), mas pertencentes a grupos com maior chance de ter a doença.

Os tumores de cólon e reto (ou colorretal) podem ser detectados precocemente através de dois exames principais: pesquisa de sangue oculto nas fezes e endoscopias (colonoscopia ou retossigmoidoscopias).

Além do diagnóstico precoce, a Organização Mundial da Saúde preconiza que os países com condições de garantir a confirmação diagnóstica, referência e tratamento, realizem o rastreamento do Câncer do Cólon e reto em pessoas acima de 50 anos, por meio do exame de sangue oculto de fezes.  Os casos positivos neste exame deverão fazer uma colonoscopia ou retossigmoidoscopia, onde o médico visualizará a parte interna do intestino buscando o Câncer ou pólipos que possam vir a se transformar em Câncer.

O diagnóstico requer biópsia (exame de pequeno pedaço de tecido retirado da lesão suspeita). A retirada da amostra é feita por meio de aparelho introduzido pelo reto (endoscópio).

O Câncer de Colorretal é uma doença tratável e frequentemente curável. A cirurgia é o tratamento inicial, retirando a parte do intestino afetada e os gânglios linfáticos (pequenas estruturas que fazem parte do sistema de defesa do corpo) no abdome. Outras etapas do tratamento incluem a radioterapia (uso de radiação), associada ou não à quimioterapia (uso de medicamentos), para diminuir a possibilidade de recidiva (retorno) do tumor.

O tratamento depende principalmente do tamanho, localização e extensão do tumor. Quando a doença está espalhada, com metástases para o fígado, pulmão ou outros órgãos, as chances de cura ficam reduzidas.

Após o tratamento, é importante realizar o acompanhamento médico para monitoramento de recidivas ou novos tumores.

 Acesse o Portal Bunzl Saúde

Siga nossas redes sociais
   /bunlzsaude

 

Fonte:

https://www.inca.gov.br/tipos-de-cancer/cancer-de-intestino

- As opiniões aqui expressas são as do autor e não refletem necessariamente as da Bunzl Saúde. A empresa não assume qualquer responsabilidade por erros nas informações aqui contidas, nem por qualquer dano que possa decorrer do uso delas ou da confiança nelas.