Menu

Hemólise: dicas para evitar e principais causas

22/09/21

Evitar a hemólise de amostras e saber quais são as principais causas desse problema é essencial para obter resultados corretos em exames laboratoriais.

A hemólise nada mais é do que a quebra das hemácias. Um rompimento na membrana plasmática que resulta em uma liberação dos componentes intracelulares no plasma.

Em um caso de hemólise da amostra, o resultado do exame não poderá ser levado em consideração. Criando a necessidade de uma nova coleta. Em torno de 40% a 70% de amostras precisam ser descartadas por causa da hemólise.

É uma quantidade bem grande considerando o todos os outros problemas que podem ser cometidos na fase pré-analítica.

Quer saber um pouco mais sobre a hemólise, como evitar esse problema e quais suas principais causas? É só ler até o fim o conteúdo que preparamos para você.

Coleta de Sangue

Como evitar hemólise de amostras

Com alguns procedimentos simples é bem fácil evitar hemólise de amostras. Evitar a hemólise garante que não haja necessidade da recoleta das amostras, diminuindo consideravelmente o custo do laboratório.

Além de diminuir os custos, uma coleta de amostra seguindo certos cuidados garante uma maior segurança e conforto para o paciente. Ao evitar a hemólise das amostras, você também impede que o resultado final do exame esteja com dados incorretos.

Cerca de 70% dos exames laboratoriais são utilizados para a tomada de decisão do médico para casos onde o tratamento se faz necessário. Um resultado preciso impede que o paciente seja tratado por algo que resultou de uma amostra inadequada.

Para evitar a hemólise das amostras, alguns procedimentos bem simples devem ser seguidos, como:

  • Manter a correta temperatura das amostras;
  • Fazer a homogeneização das amostras na velocidade recomendada;
  • Fazer o transporte das amostras em um local seguro, sem variações de temperatura e sem agitação e trepidação excessiva;
  • Não manter o garrote no paciente por mais de 1 minuto e respeitar a distância de 10 centímetros entre o garrote e a punção;
  • Usar as seringas e agulhas certas para cada paciente;
  • Fazer o enchimento necessário dos tubos de coleta.

Ao seguir essas dicas, é possível garantir que as amostras coletadas possam ser utilizadas sem problemas, gerando resultados satisfatórios. É possível identificar a hemólise da amostra com o aumento da hemoglobina, do LDH, do potássio e do TGO.

Para esses casos onde há um aumento, a quantidade da haptoglobina e o índice de reticulócitos permanece o mesmo, sendo possível identificar a hemólise. Em casos onde o resultado alterado pela hemólise se torna um risco para o paciente, é preciso fazer uma nova coleta, como em exames de TGO, TGP, LDH, entre outros.

Em exames de rotina, onde a quantidade alterada não gera nenhum tipo de problema, o médico pode simplesmente utilizar o exame já realizado. Nesses casos, é preciso apenas entrar em contato com o laboratório em questão e estar ciente que a quantidade alterada é decorrente da hemólise das amostras.

Principais causas da hemólise de amostras

Para evitar o problema, é essencial estar ciente das principais causas da hemólise de amostras. Grande parte das causas da hemólise das amostras acontece na fase pré-analítica, ou seja, no momento da coleta.

Um dos erros mais comuns que causa a hemólise das amostras é não esperar o álcool secar completamente durante o processo de antissepsia. Ao fazer a antissepsia do local, é preciso esperar que a pele do paciente esteja seca antes de realizar a punção.

Não seguir esse procedimento faz com que o álcool entre em contato com a amostra, causando quebra das hemácias e uma hemólise imediata da amostra. A pressão feita nos vasos sanguíneos deve ser adequada, mantendo o garrote no braço do paciente por menos de 1 minuto.

Não respeitar a distância de 10 centímetros entre o garrote e a punção também causa a hemólise da amostra. É essencial que todo o procedimento seja realizado de forma a diminuir o tempo em que o garrote permanece no braço do paciente.

Fazer o procedimento de forma correta impede o rompimento do vaso sanguíneo. O que causa graves hematomas ao paciente e também a hemólise da amostra.

Escolher o calibre adequado das agulhas também é uma boa forma de evitar a hemólise das amostras. Em casos onde a veia do paciente é mais frágil. Usar agulhas de menor calibre evita a transfixação venosa, impedindo a hemólise.

Nesses casos, é preciso um extremo cuidado do profissional ao fazer o ajuste da agulha dentro da veia do paciente. Nos casos onde o sangue para de fluir durante a coleta, o mesmo procedimento pode ser utilizado, ajustando a agulha de forma cuidadosa para que o sangue volte a fluir.

Caso contrário, é preciso tentar fazer a punção em outro ponto. A amostra incompleta precisa ser descartada para evitar dados incorretos.

Um outro procedimento que pode causar a hemólise das amostras é transferir a amostragem diretamente para o tubo de coleta à vácuo. Em casos de coleta aberta, é preciso abrir o tubo a vácuo, pois transferir o conteúdo por um furo na tampa vai causar a hemólise da amostra.

A hemólise nesse caso é causada por causa da pressão dentro do tubo, que faz com que a amostra “bata” no fundo, causando a quebra das células. Ao fazer essa transferência, é preciso abrir o tubo e fazer com que o sangue escorra pelas laterais do tubo. De forma lenta e suave.

Fazer a homogeneização correta dos tubos também é essencial para garantir a qualidade da amostra e evitar a hemólise. Portanto, é recomendado que a homogeneização dos tubos seja feita assim que as amostras forem coletadas, na velocidade adequada.

Ao fazer a homogeneização dos tubos em uma velocidade maior, há a quebra das células, causando a hemólise da amostra. Isso também vale para o transporte dessas amostras, que precisa ser feito de forma delicada, sem trepidação e agitação excessiva.

Manter a temperatura correta das amostras também evita que haja uma hemólise. É preciso tomar cuidado ao armazenar e transportar essas amostras.

Agora você já sabe tudo sobre quais as principais causas da hemólise e também como evitar cada uma delas. Basta tomar todos os cuidados necessários para garantir que as amostras coletadas estejam seguras, garantindo sempre resultados precisos.

 Acesse o Portal Bunzl Saúde

Siga nossas redes sociais
   /bunlzsaude

- As opiniões aqui expressas são as do autor e não refletem necessariamente as da Bunzl Saúde. A empresa não assume qualquer responsabilidade por erros nas informações aqui contidas, nem por qualquer dano que possa decorrer do uso delas ou da confiança nelas.